Google
 
 

PÁG. INICIAL
FEIRAS
FÓRUM NOVO
FÓRUM
ANUNCIE
ASSOCIAÇÕES
LISTA DE CRIADORES
LOJA VIRTUAL
LISTA DE FORNECEDORES
OUTROS_SITES
MANUAIS DE CRIAÇÃO
ARTIGOS
LIVROS
ENDEREÇOS
BATE PAPO
E-MAIL

Coluna da Chinchila
Méd. Vet. Rogério Oliveira

Alimentação Específica e Sua Importância

A chinchila nos Andes, seu habitat natural, alimenta-se de tubérculos e folhas, principalmente da puia, que é uma espécie de planta típica daquela região.

Lá, no deserto, a comida é escassa e de difícil acesso e, a água, mais rara ainda.Há também o perigo dos predadores, raposas, falcões, corujas, atacá-las na hora de sairem da toca para buscar alimentos.

Com todas esta dificuldades a natureza achou algumas saídas para a perpetuação da espécie.

Primeiro, gestação longa e de poucos filhotes para que não fosse necessária a produção de muito leite, que é produzido com proteína.Depois a dupla gestação, caso a primeira não vingue existe a chance de nascerem filhotes da outra.O cio pós parto também é um truque da natureza para aumentar a produção.E, por último, a capacidade da chinchila de reter energia por longos períodos, razão pela qual ela não tolera o calor.

A partir de Chapman começa a criação em cativeiro e, se as chinchilas tivessem as mesmas condições de alimentação dos Andes, não teríamos produção comercial. Com a facilidade de fornecer a comida no cativeiro com a certeza que ela vai ter acesso conseguimos mudar o perfil da espécie. Nos Andes elas produziam um filhote por ano, com grandes chances de morte deste filhote no período.Na criação em cativeiro tivemos aumento do número de crias por ano e a diminuição drástica da mortalidade infantil.

Para tanto, foi necessária a produção de uma ração específica às necessidades da chinchila. Em um primeiro momento, a ração oferecida era a mesma de cavalos e coelhos , que são as duas espécies de aparelho digestivo mais parecido com as chinchilas,ou seja, monogástricos de ceco muito desenvolvido. E foi com este tipo de ração que criamos por anos os nossos animais. Em 1990 a Asbrachila trouxe para o Brasil, através da Supra, a ração específica para a nossa espécie, que além dos macronutrientes trazia os níveis de micronutrientes exatos para a produção que eram totalmente diferentes dos cavalos e coelhos. Na época, os criadores notaram um grande acréscimo na prolificidade dos animais, aumento de tamanho, brilho da pele e incremento de outras características nas chinchilas brasileiras.

Portanto, uma ração específica é fundamental para a nossa produção à nível comercial, evitando assim perdas, principalmente reprodutivas nos nossos plantéis.

Depois disto, a grande busca era da produção de uma ração específica para a reprodução, já que a que tínhamos era para a manutanção, o que nos obrigava a usar para machos e fêmeas em cria um suplemento alimentar. Neste período, de quase 20 anos, outras marcas, como Piá e Purina, começaram a produzir em escala industrial, ração específica para chinchilas, facilitando a vida do criador brasileiro.

A partir do ano passado a Supra iniciou a fabricação de ração específica para reprodução eliminando a necessidade do suplemento.

O próximo passo será baixarmos os níveis de proteína de 21 para 18% na ração de crescimento para tentarmos baixar custos.

 

 

 

GALERIA
Confira a coleção de fotos de casacos dos principais nomes da costura mundial.  
página grande, leva em torno de 8 minutos para baixar.

Envie sua mensagem ;